Nota ao portal G1 – Reajuste em Contagem e Betim
5 de janeiro de 2018
Curso superior de tecnologia em transporte terrestre
22 de janeiro de 2018

Nota ao jornal O Tempo – Acidente na trincheira em Contagem

Demanda: Após o acidente envolvendo um veículo da linha 7110 na trincheira nova do bairro Cidade Industrial, em Contagem, no dia 9 de janeiro, o jornal O Tempo questionou sobre evasão e ausência de cobradores no sistema metropolitano de transporte.

 

Nota ao jornal O Tempo,

Belo Horizonte, 10 de janeiro de 2018. O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros Metropolitano (SINTRAM) lamenta o acidente envolvendo um ônibus da linha 7110, na trincheira das avenidas Babita Camargos e General David Sarnoff, em Contagem, na noite do dia 9 de janeiro, e informa que a empresa responsável pela linha prestou socorro às vítimas e ao motorista do coletivo. O SINTRAM esclarece que o motorista do veículo tentava evitar uma colisão com um automóvel que o ultrapassava pela direita em uma curva, no momento em que o acidente ocorreu. De forma defensiva, o motorista desviou o ônibus para a esquerda para minimizar a possibilidade de colisão com o automóvel. O SINTRAM ressalta que o acidente não foi causado e nem tem relação com a falta de cobrador no coletivo.

Desde 2016, o alto investimento no sistema de bilhetagem eletrônica e o crescente número de usuários que utilizam o cartão como forma de pagamento possibilitaram a substituição dos cobradores nas linhas em que se verifica que a absoluta maioria dos passageiros faz uso do meio eletrônico, que oferece maior agilidade e segurança aos usuários nas viagens. A ausência do cobrador é prevista no instrumento normativo da categoria, que prevê um adicional de 20% sobre o salário base daqueles motoristas que realizam a cobrança da passagem. Considerando ainda que a bilhetagem eletrônica é adotada em diversas capitais e em grandes cidades do Brasil e do exterior, é importante lembrar que o Ministério do Trabalho e Emprego autoriza a cobrança de passagem pelo motorista.

O SINTRAM esclarece que a estimativa de evasão no sistema é de aproximadamente 10% do total de usuários. A orientação das empresas é para que o motorista tente cobrar as passagens e, caso o passageiro se recuse a pagar, o motorista é instruído a levar o veículo até o posto policial mais próximo.